Ir para o conteúdo Acessibilidade

Este site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.
Consulte a Política de Privacidade para obter mais informações.

Inclusão Processos e Práticas: Processos Museológicos 2021/2022

Publicado em 21/01/2022

Os trabalhos realizados no setor de Processos Museológicos são atividades com características contínuas. Por isso, além dos novos desafios, as atividades de 2022 continuarão com o objetivo de colocar em prática as atividades de salvaguarda, pesquisa e comunicação conforme a Museologia e sobretudo desenvolvê-las de forma acessível e inclusiva para nosso público e equipe de profissionais que atuam no Museu da Inclusão.

Obra de readequação e modernização do espaço do Museu da Inclusão

O Museu da Inclusão tem sua sede localizada no térreo do prédio Parlatino, dentro do Memorial da América Latina, onde se encontra, também, Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD).

Atualmente, o Museu encontra-se com suas atividades presenciais suspensas, em decorrência da pandemia e por sua reforma para readequação e modernização de sua estrutura física e da acessibilidade no edifício. As obras tiveram início na primeira quinzena de 2022 e terão seu andamento divulgado em breve.

Em paralelo, estamos realizando nossas atividades nas plataformas digitais. Além disso, o Museu está planejando uma nova exposição de longa duração, atuando no processamento técnico do acervo museológico e estruturando a instalação de uma reserva técnica acessível para que, quando retornarmos com nossas atividades presenciais, todos possam nos visitar.

Exposição Virtual

Em 2022, o Museu da Inclusão lançará a exposição virtual intitulada “Pessoas com Deficiência: Lutas, Direitos e Conquistas”, cujo objetivo é refletir sobre as reivindicações e conquistas pelos direitos da pessoa com deficiência. A exposição está sendo construída priorizando os critérios e recursos de acessibilidade para receber todos os públicos.

Arrolamento

Com o retorno ao trabalho presencial, foi possível retomar as atividades de processamento do acervo do Museu da Inclusão com o arrolamento das cinco coleções preservadas. Esta etapa contempla a coleta de informações que permitem à equipe ter o controle quantitativo e qualitativo do acervo museológico. Esse trabalho, iniciado no final de 2021, terá continuidade neste ano. Estão previstas, também, atividades de higienização mecânica, acondicionamento e digitalização de todo o acervo.

Inventário Memória Paulistana

O programa Inventário Memória Paulistana, do Departamento do Patrimônio Histórico de São Paulo (DPH), prevê a instalação de placas com verbetes em locais de memória espalhados pela cidade de São Paulo.

Visando a preservação da memória das pessoas com deficiência, o Museu da Inclusão inscreveu 20 lugares, e desses, 17 foram aprovados pelo DPH para receber as placas do Inventário da Memória Paulistana.

Essa atividade é realizada pelo Núcleo de Processos Museológicos, em parceria com o setor de Pesquisa, com o intuito de contribui com a preservação e comunicação desses lugares de memória ao qual pertencem os movimentos sociais das pessoas com deficiência.

A primeira foi instalada na Fundação Dorina Nowill, no dia 18 de agosto de 2021. Ao longo dos próximos meses, nossa equipe dará continuidade ao trabalho de acompanhamento das instalações destas placas nos demais espaços.

Pessoas da sociedade civil, também, podem realizar indicações para o referenciamento.

Rede de Memórias

As atividades do projeto Rede de Memórias serão continuadas para o mapeamento de acervos, lugares de memórias e ativistas do movimento social por direitos das pessoas com deficiência.

Em 2021, demos início com o apoio da ativista Márcia Nórcia, que nos auxiliou no levantamento de 17 instituições na Região da Vila Mariana, na cidade de São Paulo.

Em um primeiro momento, foi enviado um formulário para estas instituições mapeadas, cujo objetivo foi conhecer suas atividades, o público-alvo, os acervos, se conheciam o Museu da Inclusão e se tinham interesse em ter futuras parcerias como o Museu.

No total, obtivemos devolutivas de 15 instituições que foram contatadas.

Em breve, publicaremos resultados mais detalhados sobre a primeira etapa desse projeto. Ainda esse ano, está previsto o início do trabalho de coleta de testemunhos com algumas destas instituições como forma de preservação da memória da atuação delas no campo da pessoa com deficiência.

Comissão de Acervos

No final de 2020, foi criada a Comissão de Acervos do Museu da Inclusão, cujo objetivo é tornar as ações do Museu da Inclusão participativas com os agentes do movimento social das pessoas com deficiência.

Sendo assim, segundo a RESOLUÇÃO, Abaçaí Cultura e Arte de nº 01/2020, publicada em 01 dezembro de 2020, estão previstas anualmente duas reuniões ordinárias com a Comissão para apresentar as demandas existentes e para que haja deliberação dos membros da Comissão quando necessário sobre o Museu e o seu acervo.

A segunda reunião com a Comissão está sendo planejada para o ano de 2022. As tratativas a serem tomadas são: apresentar a nova coordenadora do setor de Processos Museológicos, as atividades a serem realizadas pelo Museu no ano vigente e apresentar as propostas de doações de acervo recebidas pela equipe no último trimestre de 2021.

Diálogos e (Re)Conexões

Este ano, realizaremos a 3ª edição do projeto “Diálogos e (Re)Conexões”, dividido em 8 encontros, cujo objetivo é aproximar as diferentes gerações para discutir assuntos relacionados às reivindicações por direitos das pessoas com deficiência.

Em decorrência da pandemia de Covid-19, as duas primeiras edições aconteceram de forma remota. Em 2022, analisaremos o cenário em que decidiremos se a edição acontecerá de forma presencial, mas com transmissão pelas plataformas digitais.

Plano Museológico

Uma das principais ferramentas para a Gestão Museológica, que está prevista na Lei Federal 11.904/2009, do Estatuto dos Museus, é o Plano Museológico. Através dele é possível definir a visão, missão, valores e objetivos da instituição museológica, além da elaboração dos programas para o Museu.

De acordo com o texto Subsídios para elaboração de Planos Museológicos (IBRAM, 2016), – essa ferramenta de planejamento estratégico deve ordenar e priorizar as ações a serem desenvolvidas pelo museu para o cumprimento da sua função social e constituir-se como um documento museológico que baliza a trajetória do museu.

Para isso, em 2022, como primeira etapa para criação do Plano Museológico do Museu da Inclusão, o Núcleo de Museologia, seguindo as orientações do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), dará início à realização do diagnóstico dos nossos programas. Esta fase é imprescindível para tomarmos conhecimento sobre os pontos fortes e as necessidades da instituição para a elaboração de um Plano Museológico consistente e realista.

Alicerces do Museu

Alicerces do Museu é um projeto colaborativo desenvolvido pelos Núcleos de Processos Museológicos e Educação, que tem como objetivo apresentar, através de rodas de conversas, as práticas museológicas realizadas no Museu da Inclusão aos seus colaboradores das áreas operacionais e aos servidores da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

O Museu da Inclusão segue valorizando o patrimônio e as reivindicações do movimento social das pessoas com deficiência. Por isso, continuaremos a desenvolver atividades em prol dessas pautas e de um mundo menos excludente.

Contamos com sua parceria em 2022!

Referências

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Subsídios para a elaboração de Planos Museológicos. Brasília: Ibram, 2016. Disponível em: <https://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2017/06/Subs%C3%ADdios-para-a-elabora%C3%A7%C3%A3o-de-planos-museol%C3%B3gicos.pdf>. Acessado em 06/jan/2022.

voltar para o topo